Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘base aliada’

Aécio Neves: “A presidente deve dormir com enxaqueca. Ela sofreu uma fragorosa derrota na convenção do PMDB”, comentou.

Eleições 2014

Fonte: O Globo

Aécio diz que Dilma sofreu derrota com revolta da base aliada

Em lançamento de chapa com tucana para o governo de MG, Aécio afirmou que presidente ‘deve dormir com enxaqueca’

senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB) ironizou o governo da presidente Dilma Rousseff em relação ao resultado da convenção do PMDB que decidiu apoiar o PT, apesar da fatia de 41% de peemedebistas terem sido contrários a renovação da aliança. Segundo AécioDilma deve ter sentido dor de cabeça por causa do posicionamento do PMDB, principal aliado da coalizão petista. Para AécioDilma ganhou mais tempo de TV, mesmo não tendo o que mostrar.

Leia também:

PMDB rachado mantém apoio a Dilma

– A presidente deve dormir com enxaqueca. Ela sofreu uma fragorosa derrota na convenção do PMDB. Depois de tudo que foi feito, da distribuição dos espaços ao PMDB no governo, no qual pelo menos um setor do PMDB manda mais que o próprio PT, a oposição à aliança tem mais de 40% dos votos. Para que tanto esforço para ganhar minutos natelevisão se esse governo não tem absolutamente nada para mostrar aos brasileiros a não ser falsas projeções, maquiagens fiscais, indicadores sociais e econômicos extremamente ruins? – ironizou.

Aécio participou nesta terça, em Belo Horizonte, da convenção do PSDB em Minas. O ato reuniu 19 partidos e serviu para oficializar a candidatura do ex-ministro Pimenta da Veiga ao governo de MinasPimenta terá como vice o presidente da Assembleia Legislativa mineira, Dinis Pinheiro (PP), e o ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), que concorrerá ao senado. Dezenas de prefeitos, deputados e vereadores do interior participaram da convenção tucana.

DIVISÃO NO GOVERNO

Para Aécio, o PMDB vai entrar dividido na disputa eleitoral, apesar de o PT ter passado os últimos anos distribuindo cargos e cooptando aliados.

– Os peemedebistas estão vendo o que acontece com o Brasil, ninguém quer isso que está aí. O governo do PT é o governo da desesperança. O PMDB em vários estados estará próximo a nós. O resultado da convenção do PMDB é uma derrota de um governo que não teve limites para distribuir cargos. O governo há um ano só faz uma coisa: cooptar forças políticas para ela vença as eleições.

No palanque, o presidenciável tucano mandou um recado para a presidente:

– A boa educação mineira só me permite desejar a presidência uma boa aposentadoria nos últimos quatro anos, afirmou.

ELOGIOS A FH

Aécio acusou o governo petista de enganar a população com informações absurdas sobre a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso:

– O Brasil não merece uma presidente que faz uma comparação tão absurda quanto essa. O presidente Fernando Henrique quando ele deixou o governo a inflação era em torno de 12%. Sim. Mas quando ele assumiu o governo ela era de 916% ao ano e parte desses 12% foi em razão do efeito Lula. Em razão da eleição do presidente Lula que gerou descontrole econômico nos primeiros meses – defendeu Aécio.

Anúncios

Read Full Post »

2014: após perda do PPS, Aécio acredita que partidos como PTB, PP, PR e PDT  podem sair insatisfeitos da reformulação na Esplanada.

2014: coligações

Fonte: Folha de S.Paulo

Tucano aposta em siglas governistas após perda do PPS

MARINA DIAS

Preterido pelo PPS, que anunciou indicativo de apoio à candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), Aécio Neves (PSDB) decidiu apostar suas fichas na rebeldia da base governista após a reforma ministerial prometida pela presidente Dilma para o início de 2014.

O senador mineiro, provável candidato tucano ao Planalto, acredita que partidos como PTB, PP, PR e PDT (que têm ou já tiveram alianças com o PSDB nos Estados) podem sair insatisfeitos da reformulação na Esplanada dos Ministérios. Dessa forma, seriam alvos possíveis para compor sua chapa. Até o momento, Aécio já tem o apoio do DEM e doSolidariedade à sua candidatura.

A estratégia de Aécio até o final de fevereiro será viajar pelo país para chancelar sua candidatura em todos os diretórios estaduais do PSDB. Em março, haverá um ato com a presença do ex-governador José Serra para oficializar a candidatura do mineiro.

Em abril, Aécio irá procurar pessoalmente siglas da base da presidente Dilma que possam ter ficado insatisfeitas com a minirreforma ministerial. O mineiro não espera que partidos aliados desembarquem do governo antes de abril e por isso vai esperar para iniciar as conversas.

PV, no entanto, será um dos focos de negociação do tucano ainda este ano. Aécio já se reuniu algumas vezes com o presidente do PV, José Luiz Penna, que publicamente defende candidatura própria.

“Vamos aguardar abril para abordar partidos da base do governo federal. Mas por enquanto podemos intensificar as conversas com o PV, que é de oposição“, diz o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG).

O anúncio do PPS em favor de Campos não agradou Aécio, que investiu pessoalmente para que a sigla não declarasse esse apoio no último fim de semana, em São Paulo. Mas a decisão da legenda tem efeito mais simbólico do que prático: com apenas sete deputados federais, o PPS só agrega 16 segundos no horário eleitoral na TV.

Read Full Post »