Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘Ademg’

Para uma partida de futebol acontecer é necessário mais que 22 jogadores, dois técnicos e dezenas de repórteres. Passam despercebidos a muitos espectadores que acompanham as partidas no estádio Joaquim Henrique Nogueira/Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, profissionais de grande importância, que fazem parte do espetáculo atuando nos bastidores.

Os torcedores que frequentavam o Mineirão e agora assistem as partidas na Arena do Jacaré se acostumaram a escutar nos autofalantes a famosa frase: “Ademg Informa”, que precede as informações de utilidade pública e resultados de jogos passadas ao público desde os primeiros anos do estádio na Pampulha. Locutora da Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg) desde os 18 anos, a jornalista Pollyanna Andrade é dona da voz da mais famosa frase dos estádios brasileiros.

A jornalista iniciou o trabalho de locução nas partidas em 1999, quando o então diretor-geral da Ademg inovou colocando uma voz feminina no estádio. Nesses quase 13 anos, Pollyanna acumula casos inusitados e muitas histórias. “Certa vez, ligaram para a cabine e me pediram para anunciar para um torcedor presente no Mineirão que a mãe dele tinha morrido, que era pra ele ir embora. A pessoa queria que eu anunciasse isso no microfone do estádio! O que eu fiz foi pedir para o torcedor entrar em contato o seu pai. Não podia falar aquilo”, lembra.

Com tanto tempo trabalhando com locução, Pollyanna já divulgou de tudo nos microfones da dos estádios. “Houve até uma substituição de árbitro”, conta. Como vários iniciantes, ela também passou por situações desconfortáveis no inicio da carreira. “Havia pouco tempo que eu trabalhava como locutora. O goleiro Fabiano, do América, havia levado um frango terrível e chegou uma solicitação de utilidade pública que dizia: ‘Atenção Fabiano, o seu amigo Frango o aguarda atrás do gol’. Eu, ingênua e, na época, inexperiente, anunciei! O estádio veio abaixo. Pude ouvir muitos risos”, conta.

A locutora ressalta o prazer de exercer sua função e disse que, por diversas vezes, já foi reconhecida somente pela voz. “Acho graça e gosto muito desta identificação. Já aconteceu de ouvirem a minha voz num estabelecimento comercial e me identificarem como a locutora do Mineirão. É muito legal!”, conclui.

Décadas de bons serviços

Salvador de Freitas e Natalício da Costa, mais conhecido como Natal, são funcionários da Ademg há mais de 30 anos. Exercem funções distintas no dia a dia da autarquia e, nos jogos na Arena do Jacaré, assumem como “maqueiros” do estádio, ofício que desempenham juntos há 15 anos, atendendo jogadores que se machucam durante as partidas. Para Natal, um dos momentos mais marcantes foi quando levou no famoso carrinho-maca da Ademg a cantora Beth Carvalho, na partida em que o Atlético retornou à elite do futebol brasileiro com o Mineirão lotado.

Salvador é, também, chefe dos gandulas nos estádios administrados pela Ademg. Segundo ele é preciso muita seriedade para trabalhar na reposição de bola nos campos. “Não pode deixar o gandula ‘fazer cera’ de jeito nenhum. A reposição deve ser igual para todos”, ensina. Com a experiência de mais de 40 anos no futebol, ele conta da emoção de ver Pelé jogar e das conversas com Garrincha. “Vi Pelé jogar de perto, tive a chance de conversar com Garrincha, que era simples a ponto de tomar água no nosso filtro e contar histórias normalmente. Só tenho a agradecer por chances como essa”, disse.

Anúncios

Read Full Post »

 O Estádio Joaquim Henrique Nogueira/Arena do Jacaré é o principal palco do futebol mineiro desde julho de 2010, quando o Mineirão foi fechado para modernização. A mudança levou para Sete Lagoas, região Central de Minas, os clubes, as torcidas, o trabalho da Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg), responsável pela gestão do estádio, e, dentre outras instituições, a Vigilância Sanitária, órgão fiscalizador dos bares, que atua para “diminuir, eliminar, prevenir ou minimizar riscos e agravos à saúde dos usuários”, conforme atesta a fiscal da Vigilância Sanitária de Sete Lagoas, Simone Cecílio Abreu.

Conforme o artigo 23 do Estatuto do Torcedor, o laudo de condições sanitárias e de higiene, responsabilidade da Vigilância Sanitária, é obrigatório para tornar a praça de esportes apta a receber eventos e o público em geral. Esse laudo é essencial para garantir, por exemplo, a qualidade do “tropeirão”, tradicional prato servido em partidas de futebol realizadas em Minas Gerais. Em jogos com grande público, como o dessa quarta-feira (21) entre Atlético e Flamengo, são vendidos, em média, 300 tropeiros em cada um dos bares da Arena do Jacaré.

O estádio possui todos os laudos apresentados dentro do prazo, mas o trabalho envolve muito mais do que a emissão de documentos. Toda a estrutura dos permissionários dos bares é constantemente avaliada e aprimorada pelos fiscais sanitários da Vigilância Sanitária de Sete Lagoas, com apoio da Ademg.

“Estamos sempre acompanhando os trabalhos de instituições como a Vigilância Sanitária para garantir que o estádio esteja com os laudos em dia e, principalmente, receba bem o público nos dias de jogos”, relata o gerente do Núcleo Arena do Jacaré da Ademg, Feliciano Alves Diniz.

A Vigilância Sanitária também orienta os funcionários dos bares, que recebem capacitação. “As ações educativas têm como objetivos a conscientização e atualização do profissional com relação à legislação e aos processos de trabalho”, explica Simone Abreu. A funcionária do bar da imprensa da Arena, Fabiana Madeira, conta que as instruções e treinamentos têm sido importantes no trabalho durante os eventos no estádio. “Os cursos deram resultado, são válidos e sempre aprendemos alguma coisa”, conclui.

Read Full Post »

 

 

Cerca de 17 mil torcedores lotaram o ginásio Jornalista Felipe Henriot Drummond/Mineirinho, para acompanhar o duelo entre os dois melhores times nacionais. O Sesi/SP venceu o Cruzeiro por 3 a 1 na final da Superliga Masculina de vôlei, realizada nesse domingo (24), em Belo Horizonte.

Desde as primeiras horas da manhã a movimentação era grande na região da Pampulha, prenúncio da grande festa que aconteceria no principal palco do esporte no país. Nenhum incidente foi registrado pelaPolícia Militar, que trabalhou com 100 homens somente na parte interna do ginásio.

Autoridades e torcedores elogiaram a organização da Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg), responsável pelo Mineirinho, e da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). “O melhor de jogar no Mineirinho é a presença da torcida, é um prazer jogar nesse ginásio, o único capaz de proporcionar esse espetáculo no Brasil”, afirmou o ex-jogador e diretor do Sesi/SP, José Montanaro.

O diretor-geral da Ademg, Ricardo Raso, destacou que o Mineirinho tem uma história especial com o vôlei. “Aqui foram quebrados recordes de público nesse esporte ao longo dos anos”, disse. Para o presidente da CBV, Ary Graça, a final realizada em BH foi um grande sucesso. “Minas Gerais é a capital mundial do vôlei, não existe lugar nenhum no mundo como aqui e eu estou muito feliz com a resposta do público mineiro. Só o Mineirinho é capaz de proporcionar tamanha emoção”, comentou.

No próximo sábado (30), às 10 horas, Osasco e Rio de Janeiro decidirão, também no Mineirinho, a Superliga Feminina. Jackeline Carvalho, jogadora do Osasco e uma das protagonistas da grande final, já está ansiosa. “É sempre ótimo jogar aqui, o público prestigia o vôlei e isso é muito importante. Estou muito feliz de decidir uma final no Mineirinho”, revelou.

Os ingressos já podem ser comprados pela internet e a CBV deve anunciar ainda nesta segunda-feira (25) a data em que as entradas serão vendidas no Mineirinho.

Read Full Post »

A  Administração de Estádios do Estado de Minas Gerais (Ademg) realizou um trabalho de prevenção e correção do gramado do Estádio Joaquim Henrique Nogueira/Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, durante o recesso no calendário do futebol no Carnaval.

O procedimento denominado “plug”, desenvolvido pela Ademg, visa acelerar o processo regenerativo do gramado e consiste em retirar partes da grama do lado de fora das quatro linhas e replantar nos locais mais desgastados do campo de jogo. No total, 90 locais receberam o replantio de grama.

Principal palco do futebol mineiro desde julho de 2010, a Arena do Jacaré já recebeu este ano 11 partidas em pouco mais de um mês de atividades, com o gramado em ótimas condições de uso, reafirmando a excelência no planejamento e manutenção.

As intervenções ocorridas no feriado são importantes para que o gramado suporte o número de jogos na segunda quinzena de março. A partir deste domingo (13), estão programadas seis partidas na Arena do Jacaré nos próximos de 10 dias.

Mais intervenções

Segundo o responsável pelo gramado da Arena do Jacaré, Feliciano Alves, além do “plug”, o gramado recebeu, também, a aplicação da segunda dose de fungicida para evitar, principalmente, ação de fungos que causam manchas no campo. “A primeira aplicação foi em janeiro, antes do início das atividades, e é dividida em três etapas, precedendo o período de frio intenso, propenso ao surgimento de pragas, e terá fim em abril”, afirmou.

Complementando o tratamento, partes críticas como a grande área e o círculo central receberam adubação duplicada e terão crescimento da grama acelerado, para evitar efeito visual negativo e prejuízo técnico nos jogos.

O trabalho desenvolvido pela Ademg no gramado da Arena do Jacaré faz com que o campo de jogo do estádio de Sete Lagoas seja considerado por atletas e treinadores um dos melhores do país.

Read Full Post »