Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Política Pública’ Category

Em debate, Anastasia relaciona avanços em Minas ao bom planejamento

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Anastasia afirma que avanços de Minas acima da média nacional são frutos do bom planejamento do Estado e de parcerias com a sociedade

Em debate da Record, governador pede que os mineiros aproveitem os últimos dias antes da eleição de 3 de outubro para conhecer as propostas de todos os candidatos

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, destacou no debate da Rede Record, realizado na noite desta segunda-feira (20/09), que os avanços sociais e econômicos registrados em Minas Gerais, acima da média nacional, foram possíveis em razão do bom planejamento das ações e da parceria do Estado com os municípios mineiros e com a sociedade civil organizada. Anastasia destacou que os bons resultados de Minas Gerais foram reconhecidos tanto pelo governo federal quanto por organismos de fomento internacional e, principalmente, pela própria população do Estado.

“O maior reconhecimento é dos mineiros que nos aplaudem. E a minha candidatura surge exatamente com esse objetivo: continuar com esses avanços, com esse trabalho começado com Aécio Neves. É uma candidatura nascida em Minas, de Minas e para Minas. E gostaria de dizer que esses resultados, que devemos compartilhar com todos, estão aí e todos os mineiros conhecem e são testemunhas. Tivemos resultados para as pessoas. Acredito, sinceramente, que isso faz a diferença. As pessoas sentirem que o governo olha para elas”, disse Antonio Anastasia.

O governador lembrou que governo federal, por meio do Ministério da Educação, colocou Minas Gerais em primeiro lugar no ranking da educação básica no Brasil no último ano. Da mesma forma, o Ministério do Trabalho, apontou o grande crescimento do número de carteiras assinadas no Estado e o Banco Mundial, que transformou o exemplo de administração pública dos governos Aécio Neves e Antonio Anastasia em modelo em gestão pública.

“Este é um projeto vitorioso, que vem recebendo reconhecimento de todos os mineiros em diversos setores. Fizemos o governo transformador, ético, ousado, corajoso e empreendedor. Um governo baseado no binômio: planejamento e parceria. Planejamento porque sabemos que é um passo após o outro, e parceria com o governo federal, com os governos municipais, inclusive com prefeituras que não nos apoiam, com a sociedade civil, com os empresários. E conseguimos em razão disso um grande reconhecimento”, afirmou.

Durante o debate, Anastasia pediu aos eleitores mineiros que analisem bem as propostas de todos os candidatos antes da eleição, no dia 3 de outubro. Ele destacou a importância dos mineiros saberem que, verdadeiramente, tem condições de conduzir Minas Gerais no caminho dos avanços sociais e da boa gestão dos recursos públicos. Anastasia tem comparecido a todos os debates promovidos pelas emissoras de TV e universidades por acreditar que a discussão de ideias é fundamental para o eleitor conhecer suas propostas. “Peço a atenção de cada eleitor, porque é muito fácil falar. Fazer já não é tão fácil. Temos autoridade moral de quem realizou muito por Minas Gerais. Volto a dizer: ainda há muito a fazer. Sou candidato para continuar fazendo, avançando. Peço de maneira muito carinhosa e verdadeira o voto, mas mais do que o voto, eu ouso pedir a convicção, confirmando que o nosso nome é aquele que tem condições de levar Minas Gerais a um novo patamar. A um patamar de desenvolvimento, de inclusão social e de progresso e de prosperidade”, afirmou o governador.

Revitalização do Rio São Francisco
O governador Antonio Anastasia citou o Rio São Francisco para demonstrar a diferença do projeto de sua coligação em relação a outros candidatos. Ele lembrou que, enquanto o governo federal priorizou o projeto de transposição das águas do Velho Chico, o Estado, nos governos de Aécio e Anastasia, investiu R$ 1,4 bilhão na revitalização do trecho mineiro da Bacia do São Francisco e de seu principal afluente, o Rio das Velhas. Este valor é superior a previsão de gasto do governo federal para toda a extensão do rio, de sua nascente à sua foz.

“Investimos na revitalização do Rio das Velhas, a qualidade da água já melhorou muito, os peixes voltaram e temos certeza que vamos avançar bastante. A chamada Meta 2010 foi cumprida e, agora, estamos propondo em nosso Plano de Governo, a Meta 2014 para melhorarmos ainda mais a qualidade das águas próximo à Região Metropolitana de Belo Horizonte. O São Francisco, em sua bacia, é uma das grandes riquezas de Minas Gerais e do Brasil. Devemos tomar muito cuidado e muita atenção. E nós mineiros temos a responsabilidade e o dever de tomar conta dele e defendê-lo”, disse Antonio Anastasia.

Empregos
O governador aproveitou o debate para apresentar alguns dos 365 compromissos de seu Plano de Governo para os próximos quatro anos. Antonio Anastasia afirmou que pretende desenvolver programas e ações para fomentar a criação de empregos em Minas Gerais. Para ele, o emprego de qualidade é o melhor caminho para o Estado manter os seus indicadores sociais e econômicos acima da média nacional.

“Eu quero ser reconhecido como governador que cria empregos. Porque o emprego, na verdade, está na base do desenvolvimento social e econômico. Temos que nos esforçar muito para gerar empregos de qualidade em Minas. O poder público tem a obrigação de criar a infraestrutura necessária, ter a educação, as estradas, os incentivos de créditos, de tributos para chamar novas empresas para Minas Gerais. Isso tudo gerando empregos, empregos de qualidade. Com bons empregos, tenho certeza, Minas avançará ainda mais”, disse o governador.

Descentralização da Saúde
Antonio Anastasia lembrou que o Governo de Minas obteve importantes avanços no campo da saúde, a partir da descentralização do atendimento, que incluíram por meio do ProHosp a construção e investimentos na aquisição de equipamentos para 128 hospitais regionais do Estado. Além disso, foram construídas 1.600 Unidades Básicas da Saúde e o Estado tem atualmente o maior número de equipes do Programa Saúde da Família (PSF). O governador afirmou que o grande esforço do seu Plano de Governo é aproximar, cada vez mais, a população aos serviços de saúde, com a construção de hospitais regionais que ofereçam atendimento de média e alta complexidade.

“Nos últimos oito anos, sob o ponto de vista objetivo, esta política representou uma melhora dos indicadores, como a mortalidade infantil que caiu em Minas 22%. Na esfera estadual, o nosso grande esforço será levar cada vez mais a saúde para mais perto das pessoas. Por isso, vamos investir na construção de hospitais regionais, como o de Uberlândia, que está praticamente concluído, e realizar diversas parcerias com as prefeituras para termos as melhores condições”, afirmou o governador.

Antonio Anastasia afirmou ainda que o Estado priorizará ações de prevenção à saúde, por meio de programas específicos, como o Viva Vida, que garante atendimento às mulheres durante a gestação, e o Farmácia de Minas, que fornece remédios gratuitamente à população.
“Temos que ter uma atividade também preventiva, através, por exemplo, do Viva Vida, que se refere às gestantes. No projeto relativo à Farmácia de Minas,  aumentamos a produção de remédios gratuitos de 300 milhões de unidades para 1 bilhão de unidades. Tudo isso significa uma melhora, mas sou o primeiro a reconhecer a necessidade de avançarmos mais através dessa descentralização e trazer a saúde cada vez mais próximo das pessoas”, disse Antonio Anastasia.

Educação
Para o governador, a política de valorização do profissional da educação foi fundamental para que o Estado obtivesse o primeiro lugar no Brasil, pelo Índice de Educação Básica (Ideb), divulgado pelo Ministério da Educação. Ele também apresentou o programa Professor da Família, que está previsto em seu Plano de Governo.

“A educação mineira é de excelência. Conseguimos o primeiro lugar no Brasil na educação básica e o terceiro no ensino médio. As Olimpíadas de Matemática, os nossos alunos ganham todas. Vou continuar valorizando firme a educação porque sou o primeiro a reconhecer a sua importância, recuperando as escolas, investindo em novas metodologias de ensino, criando o programa Professor da Família que vai ajudar aqueles alunos que estão em situação pior. Então, isso é fundamental, investir na educação e, também, é claro, nos professores e em toda rede pública de ensino”, disse o governador.

Valorização dos servidores
Anastasia lembrou das conquistas históricas dos servidores públicos nos últimos anos do Governo do Estado. Ele ressaltou que a valorização do funcionalismo, em especial da educação, continuará sendo prioridade no seu segundo governo, caso reeleito.

“A questão dos servidores é uma prioridade absoluta em qualquer governo e do meu governo em especial, até porque eu sou servidor público de carreira do Estado, professor e filho de professora do Estado de Minas Gerais. Em primeiro lugar, vamos lembrar também que no início do nosso governo, depois de 20 anos, nós conseguimos colocar o pagamento em dia, conseguimos pagar o 13º em dia, criamos o adicional de produtividade, que é um 14º salário; criamos os planos de carreira, pagamos as verbas retidas, colocamos a casa em ordem. E os funcionários são testemunhas do que havia no passado e do que existe hoje”, disse Anastasia. E completou: “sempre digo, conceder o reajuste é excelente, mas temos também de ter condições de pagar o reajuste e não voltar ao passado, com atraso do pagamento, o não pagamento do décimo terceiro. Eu sou o aliado número um da educação, por ser professor e ter grande amor pelo tema”.

Read Full Post »

Sociólogo Cláudio Beato explica a elaboração do Plano de Governo

Melhorar a qualidade de vida e gerar mais empregos são os objetivos do próximo governo de Antonio Anastasia, diz Cláudio Beato

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Coordenador do Plano de Governo, o sociólogo Cláudio Beato afirma que Minas avançará ainda mais com desenvolvimento integrado das regiões

Criar uma rede de desenvolvimento integrado é o principal desafio proposto pelo Plano de Governo 2011-2014 – Minas de Todos os Mineiros – de Antonio Anastasia, candidato à reeleição. A ideia é assegurar o desenvolvimento em todas as regiões do Estado, interiorizando ações e programas de governo nas áreas de saúde, educação, habitação, infraestrutura dos municípios, geração de empregos, entre outros.

Elaborado por um conjunto de 150 profissionais e especialistas de reconhecida atuação em diversos segmentos da sociedade, o Plano de Governo foi coordenado pelo sociólogo Cláudio Beato.

Aos 53 anos, Cláudio Beato é doutor em Sociologia, professor titular da UFMG e especialista em segurança pública. É coordenador do Centro de Estudos em Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), um dos parceiros do Governo do Estado na implantação de programas de combate à criminalidade.

Cláudio Beato também é membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, consultor do Banco Mundial (BIRD) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), ex-professor visitante das universidades de Harvard (EUA) e Oxford (Inglaterra), consultor do governo federal. É ainda consultor de segurança pública de diversos governos estaduais e de países da América Latina.

Em entrevista, Cláudio Beato explicou como foi elaborado o plano de Governo de Antonio Anastasia que busca, no binômio Vida e Renda, promover o desenvolvimento integrado, entre nas diversas regiões do Estado e melhorar a qualidade de vida das pessoas e o aumento da renda.

Qual foi a principal orientação do governador Antonio Anastasia para o Plano de Governo?

A orientação do governador foi a inovação. Estamos vindo de duas administrações muito bem avaliadas, muito bem sucedidas e o grande desafio é justamente dar continuidade a isso, mas  com inovação. A orientação foi basicamente tentar desenvolver coisas novas dentro de um projeto que já era bem sucedido e de continuidade.

Qual é o ponto principal do Plano de Governo?
O cerne do Plano de Governo está expresso nas palavras vida e renda, que o governador tem repetido insistentemente, que se traduz em uma nova forma de trabalhar de maneira compartilhada, participativa, com diversos setores da sociedade no sentido de ter uma gestão compartilhada no Governo de Minas Gerais. Vamos inaugurar uma série de mecanismos através dos quais as pessoas vão participar crescentemente e sempre com vistas ao desenvolvimento integrado, não é apenas o desenvolvimento econômico, de todas as regiões de Minas. Temos também o enfoque regional bastante importante para tentar desenhar esses mecanismos de participação e compartilhamento das decisões do Estado.

Como o Plano está dividido?
O Plano de Governo está dividido através de redes. Temos sete redes que são transversais. Muitas ações de governo requerem a colaboração de diversas organizações, entidades, secretarias, como por exemplo a Secretaria de Educação, Secretaria de Defesa Social, Desenvolvimento, enfim toda essa transversalidade está prevista através das redes de desenvolvimento integrado. Por isso que a gente chama desenvolvimento de rede, que também vai se dar em parceria com a sociedade civil.

Como foi o processo de elaboração do Plano de Governo?
Foi muito participativo, envolvendo muitas pessoas e organizações interessadas no assunto e a gente fez isso de diversas maneiras, seja conversando diretamente, seja procurando as pessoas, e também através do site, recebendo muitas sugestões importantes, que foram incorporadas ao Plano.

Em quanto tempo o Plano de Governo foi elaborado?
Começamos o Plano de Governo a partir de agosto. Tivemos um processo intenso de consultas e ouvimos muitas pessoas, especialistas, entidades, organizações e a própria sociedade, enfim, foi um trabalho intenso de ouvir as pessoas. Temos um núcleo central formado por 10 pessoas, que ficam permanentemente recebendo, conversando, consultando, pesquisando, e temos um grupo grande de colaboradores que nos ajudaram nas diversas áreas do Plano.

Gostaria que o senhor resumisse o objetivo das redes.
São sete redes que visam alcançar o binômio vida e renda, com o objetivo de aumentar a qualidade de vida das pessoas com melhores empregos. São redes de gestão integrada, ou seja, você tem que trabalhar com servidores melhor remunerados e qualificados para servir melhor à população. Temos a rede de atendimento à saúde, que é para fazer chegar esse serviço mais perto da população, inclusive com envolvimento de outros setores. Temos a rede de educação e desenvolvimento, que é trabalhar muito de perto a qualificação profissional e desenvolvimento econômico para sanar um dos grandes problemas que a gente tem que é o apagão da mão de obra.

Temos a rede de infraestrutura sem a qual você não pode falar em desenvolvimento econômico sem ter uma base de estradas, rodovias e ferrovias para transportar a nossa riqueza. A infraestrutura é uma das redes mais centrais porque não há como falar em desenvolvimento hoje em Minas Gerais se a gente não tiver uma infraestrutura adequada. Diria até que é talvez um dos grandes gargalos.

Por que?

Porque o governo do Estado fez a sua parte, construiu quase 6 mil quilômetros de estradas através do Proacesso, mas o governo federal está ainda muito a dever, principalmente nas BRs que cruzam e que no final de contas transportam riquezas pelo Estado de Minas Gerais, o que o torna um Estado legítimo. Essa infraestrutura vai ter que ser muito trabalhada. A rede desenvolvimento social, com objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas, através de projetos de desenvolvimento social, de prevenção de drogas e de defesa social.

Também está no plano a rede de desenvolvimento sustentável em cidades, que procurar colocar junto o desenvolvimento sustentável e o desenvolvimento econômico, através da agricultura, da agricultura familiar, do desenvolvimento das áreas metropolitanas e a rede de identidade mineira, que é um aspecto extremamente importante em Minas Gerais que é a construção de nossa identidade que vai se dar através da cultura, mas também do esportes e do turismo, que é uma atividade econômica muito importante para os mineiros.

Como será a relação com os prefeitos?
Quando falamos em desenvolvimento em rede, não há como não envolver os prefeitos de forma muito intensa. Mesmo porque eles são os principais articuladores e lideranças políticas locais e os que efetivamente chegam aos 853 municípios do Estado de Minas Gerais. É com os prefeitos que o governador vai contar para construção dessas redes.

O Plano de Governo, além de uma continuidade, representa uma evolução?
A ideia é evoluir sempre da mesma forma como o Estado para Resultados foi uma evolução do Choque de Gestão. Agora estamos com o Desenvolvimento Integrado como evolução dessas duas etapas. Daí a importância de continuar o que está sendo feito. Não é uma simples repetição de um governo, mas uma evolução, um acúmulo de coisas que já foram feitas com as quais você pode andar para frente.

O Plano vai ser lançado, mas ele está fechado?
O Plano não poderia ser fechado, mesmo porque a ideia é ter participação crescente de pessoas, entidades, organizações. É um processo em construção, que na realidade vai continuar até mesmo durante o período de governo, com uma participação muito ativa da sociedade, seja na formulação, seja na identificação do programa, mas também no monitoramento e na avaliação. Mesmo a formulação desses projetos que são oferecidos agora, vão continuar depois através do site, onde as pessoas vão poder entrar e oferecer sugestões.

O cidadão comum que deseja dar uma sugestão, como ele vai poder interagir?
No site do governador Anastasia – http://www.anastasia2010.com.br/plano_governo_anastasia.pdf -, o cidadão pode entrar, dar sugestões e oferecer sua colaboração, enfim, o que ele está percebendo como a possibilidade de atuação do governo, isso tudo está aberto para as pessoas

Read Full Post »

Governador Antonio Anastasia lança Plano de Governo com propostas e metas para os próximos quatro anos

Fonte: Coligação “somos Minas Gerais”

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, apresentou hoje (09/09), em Belo Horizonte, o seu Plano de Governo com propostas e metas para o período de 2011 a 2014.  O documento denominado “Minas de Todos os Mineiros – As Redes Sociais de Desenvolvimento Integrado” inclui 365 compromissos para melhorar a qualidade de vida da população, os indicadores sociais do Estado e aumentar a renda dos mineiros.

O caminho proposto é assegurar o desenvolvimento em todas as regiões do Estado, interiorizando ações e programas de governo nas áreas de saúde, educação, habitação, infraestrutura dos municípios, geração de empregos, entre outros.

O Plano de Governo foi elaborado por um conjunto de 150 profissionais e especialistas de reconhecida atuação em diversos segmentos da sociedade, sob a coordenação do sociólogo Cláudio Beato. Durante a apresentação do Plano de Governo, Antonio Anastasia destacou que, para a transformação das propostas e metas em resultados concretos, será fundamental a criação redes integradas entre o Estado, sociedade civil organizada e a iniciativa privada.

“Significa cada vez mais um entrosamento entre as instituições dos diversos níveis de governo com a sociedade, com empresários, com as universidades, com as pessoas, com as comunidades e dentro do próprio governo para alcançarmos mais resultados”, disse o governador.

O Plano de Governo foi dividido em sete áreas, denominadas redes. São elas: Rede Gestão Eficiente, Rede de Atendimento em Saúde, Rede de Educação e Desenvolvimento, Rede de Infraestrutura, Rede de Desenvolvimento Social, Proteção e Segurança; Rede Desenvolvimento Sustentável e Cidades; e Rede de Identidade Mineira.

O documento, contendo 72 páginas, está disponível no site oficial de Antonio Anastasia para que a população possa dar novas sugestões.

Conheça a íntegra do documento: http://www.anastasia2010.com.br/plano_governo_anastasia.pdf

Read Full Post »

Fonte: Coligação “Somos Minas Gerais”

Ações para o período 2011/2014 visam melhorar os indicadores sociais, a qualidade de vida dos mineiros e a geração de empregos em todas as regiões mineiras

O governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição, apresentou nesta quinta-feira (09/09), em Belo Horizonte, o seu Plano de Governo com as propostas e ações sociais para o período de 2011 a 2014.  Denominado “Minas de Todos os Mineiros – As redes sociais de desenvolvimento integrado”, o Plano se divide em 365 propostas com o objetivo de melhorar os indicadores sociais, a qualidade de vida dos mineiros e a geração de empregos de qualidade.

Elaborado em conjunto por um grupo de 150 profissionais e especialistas de diversas áreas, o Plano de Governo prevê ações inovadoras nas áreas de desenvolvimento social, segurança, saúde, educação, infraestrutura, apoio aos municípios mineiros, desenvolvimento sustentável, agronegócio, esportes, juventude, cultura e valorização dos servidores públicos.

Participação popular
Em sua apresentação, o governador disse que todas as propostas do Plano de Governo foram elaboradas com o objetivo de contar com a participação popular, sociedade civil organizada e setor produtivo, na elaboração dos programas e ações do Estado.

A íntegra do Plano de Governo de Antonio Anastasia está disponível na internet (http://www.anastasia2010.com.br/#plano_de_governo) para que todos os cidadãos mineiros possam conhecer as suas propostas para o período 2011-2014. Os mineiros também poderão dar novas sugestões para ampliar as propostas do Plano de Governo.

“Significa cada vez mais um entrosamento dos diversos níveis de governo com a sociedade, empresários, universidades, com as pessoas, com as comunidades e dentro do próprio governo para alcançarmos mais resultados. Já conseguimos colocar a casa em ordem, já temos uma estratégia bastante razoável de desenvolvimento, já temos bons indicadores em todas as políticas públicas, as finanças estão em ordem. Agora é tempo de avançarmos. E qual é o grande objetivo de qualquer governo? Levar resultados concretos e objetivos para as pessoas, para que elas se sintam atendidas”, afirmou Anastasia.

Desenvolvimento integrado
Acompanhado do presidente da Assembleia e candidato a vice-governador, deputado Alberto Pinto Coelho, Anastasia explicou que quer implantar um planejamento inovador no Governo do Estado, buscando um desenvolvimento integrado para diminuir as diferenças regionais.

“A nova forma de administração que está sendo sugerida no programa, com a Administração em Rede, é algo muito inovador. Estamos propondo para a saúde, educação, infraestrutura e para a segurança a ideia de rede. É uma ideia de integração maior, de um esforço coletivo. É do governo a responsabilidade maior, mas que é também com a participação das entidades da sociedade civil e das outras esferas de governo, fazendo um grande esforço conjunto e coordenado, para termos cada vez mais resultados melhores”, disse o governador.

Redes de Desenvolvimento
O Plano de Governo conta com sete áreas principais de atuação, chamadas “Redes de Desenvolvimento Integrado”. Nessas redes estão divididas as 365 propostas apresentadas pelo governador Antonio Anastasia.

A primeira delas é voltada para a gestão pública, valorização dos servidores, fortalecimento das parcerias feitas pelo Estado e ampliação de informações e serviços públicos oferecidos à população.  A “Rede de Gestão Eficiente” prevê diversas ações de valorização do servidor, como benefícios por produtividade e reestruturação de carreiras e implantação de uma política de remuneração, com reajustes anuais, baseados na variação da receita do Estado.

“A remuneração sempre é a maior preocupação. Já conseguimos evoluir bastante ao longo dos últimos anos. E estamos propondo a volta do debate que fizemos em 2006, que é uma política remuneratória permanente no Estado, anual, com base na variação do nosso principal imposto que é o ICMS, que sustenta o Estado. Os reajustes seriam anuais com base na variação do ICMS”, explicou Antonio Anastasia.

Saúde
Na “Rede de Atendimento à Saúde”, a propostas têm o objetivo central de reduzir ainda mais os índices de mortalidade infantil no Estado, passando para menos de 11 mortes para cada mil crianças nascidas vivas. Em 2009, o número era de 13,5 óbitos, que já está mais baixo que a média nacional.

Antonio Anastasia assumiu o compromisso de aumentar o número de equipes do Programa Saúde da Família (PSF), de 4.039 para 4.663, principalmente com a criação de equipes em grandes aglomerados urbanos.

As ações de fortalecimento de hospitais regionais, que já têm resultados significativos em Minas, serão ampliadas, com mais recursos para consolidar a rede de Hospitais Regionais. A meta é que Minas tenha 200 hospitais regionais espalhados por todas as regiões do Estado. Desta forma, garantindo o atendimento de média complexidade com um deslocamento de, no máximo, duas horas da residência de qualquer cidadão no Estado.

O Governo de Minas irá implantar 65 Centros de Atenção Especializada, que oferecem consultas e exames médicos. O governador Antonio Anastasia também propõe em seu Plano de Governo a ampliação da Rede Viva Vida, que oferece atenção às mulheres gestantes, para cobrir todas as microrregiões de saúde.

Educação
Para a área da educação, Anastasia propôs a “Rede de Educação e Desenvolvimento”. O grande desafio é tornar a rede pública de ensino em um sistema de alto desempenho educacional. O compromisso é ampliar as oportunidades de acesso à educação profissional técnica de nível médio, com a criação de 400 mil novas vagas do Programa de Educação Profissional (PEP). O número de alunos em tempo integral nas escolas também irá crescer, passando de 105 mil para 350 mil crianças.

Uma das maiores inovações na área da educação incluídas no Plano de Governo é o programa Professores na Família. Ele será implantado em municípios com até 360 mil habitantes e com Índice de Educação Básica (Ideb) menor que a média estadual. Os alunos beneficiados irão receber, em casa, visitas periódicas dos professores da família, com o objetivo de diminuir as dificuldades de aprendizado nas salas de aula.

Desenvolvimento Regional e qualificação profissional
A “Rede de Desenvolvimento de Educação e Desenvolvimento” também será responsável pela criação das Zonas de Desenvolvimento Regional. Serão identificadas as principais vocações econômicas de cada região para a atração de empresas, com incentivos fiscais e oferta de linhas de crédito do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).

O governo também irá realizar obras de infraestrutura complementares como estradas, aeroportos, saneamento básico e oferta de ensino profissionalizante e oportunidades de requalificação para os trabalhadores.

Infraestrutura
A “Rede de Infraestrutura” vai transformar Minas em um Estado logístico, com a criação de uma rede de integração viária e armazenamento, garantindo a competitividade das microrregiões de Minas.

O programa Caminhos de Minas será um dos pilares da “Rede de Infraestrutura”, com a pavimentação de 7.600 quilômetros de trechos de rodovias que fazem a integração entre as regiões mineiras.

Também está prevista a implantação de dois portos fluviais no Triângulo Mineiro, criação da Hidrovia Metropolitana no Rio das Velhas para transporte de passageiros, melhor aproveitamento da malha ferroviária do Estado, expansão da telefonia celular aos distritos municipais, ampliação dos serviços de abastecimento de água e elaboração de um planejamento energético para dar condições sustentáveis de crescimento econômico em Minas.

Desenvolvimento Social
A implantação da “Rede de Desenvolvimento Social, Proteção e Segurança” irá consolidar os avanços sociais já obtidos nos Estado nos últimos anos. Também buscar ampliar as ações do Estado para garantir o cumprimento da meta proposta pelo IBGE de erradicar a pobreza absoluta em 2013.

Será criado o Programa Cidadania desde o Primeiro Dia, garantindo às famílias mais vulneráveis um ambiente seguro para a criação das crianças. Elas terão um acompanhamento especial nos primeiros cinco anos de vida. As ações incluem tratamento pré-natal e pediátrico, garantia do registro de nascimento e visitas periódicas de assistentes sociais.

Outras novidades são o Programa Currículo do Trabalhador, voltado para a capacitação de jovens e desempregados, e o Programa Eu Vou à Luta, destinado a inserir no mercado de trabalho mulheres com mais de 40 anos.

Na área de defesa social, haverá aumento do policiamento ostensivo nas ruas, implantação de 15 novos Centros de Comando e Controle Regionais (Ciads), expansão do sistema informatizado de integração das polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros, criação de programa de proteção às áreas rurais, além de ampliação de programas de combate às drogas e de inserção de jovens ao mercado de trabalho.

Desenvolvimento Sustentável
Outra importante ação incluída no Plano de Governo de Antonio Anastasia é a criação da “Rede de Desenvolvimento Sustentável e Cidades”. Ela será responsável por aliar a proteção ambiental ao crescimento urbano, econômico e das atividades agropecuárias em Minas Gerais.

O Governo de Minas irá fortalecer os programas de revitalização de bacias hidrográficas, criar programas para redução das emissões de gases do efeito estufa, incentivar o ecoturismo e ampliar o programa Bolsa Verde, para compensar financeiramente os produtores rurais por serviços ambientais prestados.

A cafeicultura e pecuária leiteira, duas das principais atividades econômicas em Minas, também receberão tratamento especial. Serão criados os programas Pró-Café e Pró-Leite para incentivar o agronegócio estadual.

No Norte do Estado, o governador Anastasia quer concluir as etapas III e IV do Projeto Jaíba, um dos maiores programas de irrigação da América Latina, apoiando a expansão da estrutura logística de exportação de frutas.

Os agricultores familiares também serão beneficiados com o fortalecimento de programas de assistência técnica e de agregação de valor à produção.

Identidade Mineira
As atividades culturais, o turismo e o esporte de Minas Gerais foram contemplados com a proposta de implantação da “Rede de Identidade Mineira”. Serão criados o Programa de Proteção ao Patrimônio Histórico de Minas Gerais e o Programa de Preservação do Patrimônio Cultural de Minas Gerais.

O governador se comprometeu também promover festivais de cultura, turismo e gastronomia no interior de Minas e criar condições de exibições de filmes nas cidades onde não há salas de cinema.

A Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 serão uma grande oportunidade para aprimorar as ações de desenvolvimento esportivo em Minas Gerais nos próximos quatro anos. Entre as propostas do Plano de Governo estão a oferta de cursos de atualização profissional para 2 mil professores de educação física, construção ou reforma de 1 mil quadras poliesportivas no estado, treinamento especializado a 15 mil adolescentes identificados como jovens talentos.

Também está prevista a implantação do Programa Estadual Bolsa Atleta para apoiar financeiramente atletas com mais de 12 anos e que não possuem patrocínio.

Read Full Post »

Antonio Anastasia vai propor novos avanços sociais e econômicos para Minas Gerais

FONTE: PSDB – MG

Programas e ações já aprovados pela população serão debatidos em cada região do Estado

A regionalização dos programas do Estado e a ampliação da participação popular nas ações do governo são duas diretrizes da proposta de Plano de Governo do governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição pela coligação “Somos Minas Gerais”. Nesta segunda-feira, o governador reuniu-se, em Belo Horizonte, com o coordenador da proposta que será apresentada aos mineiros durante a campanha eleitoral, o professor e sociólogo Cláudio Beato.

Claudio Beato explicou que a proposta de governo para os próximos quatro anos aprofundará nos avanços já conquistados nos últimos oito anos, durante a gestão de Aécio Neves, e que hoje são amplamente aprovados pelos mineiros. Segundo ele, dentro de cerca 40 dias, o novo programa estará integralmente concluído para avaliação dos eleitores.

“Os enormes avanços que Minas assistiu ao longo dos últimos anos, através do governador Aécio Neves, vão ser aprofundados. E só são possíveis agora porque os passos anteriores foram dados. Agora é possível você avançar. Esse passo só é possível porque já foi feita toda a reestruturação da máquina de governo, da estrutura gerencial”, afirmou.

Desenvolvimento social, econômico e político

A apresentação de diagnósticos e propostas para cada uma das regiões de Minas ocorrerá a partir de reuniões com os diferentes setores da sociedade, como sindicatos, produtores, empresariais e lideranças municipais. As 66 associações microrregionais terão participação fundamental no debate com a sociedade, pois são elas que receberão as demandas da população.

“É muito importante termos a percepção do que está ocorrendo em cada região do Estado. A ideia de que Minas são muitas de fato vai prevalecer no planejamento do governo. Vamos trabalhar com o desenvolvimento integral, com vários aspectos sociais, econômicos e políticos, para desenvolver cada uma das regiões do Estado de Minas para que o Estado como um todo possa avançar do ponto de vista do desenvolvimento integrado”, disse.

Segurança pública

Durante entrevista, Cláudio Beato, que é diretor do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), destacou os avanços do governo de Minas em áreas prioritárias como a segurança pública. Segundo ele, a estrutura de defesa social do Estado é hoje referência no país e em vários países. Desde 2006, o Governo de Minas destinou mais de R$ 25,8 bilhões em investimentos, resultando em mais policiais nas ruas com melhores condições de trabalho; sistema prisional mais amplo e eficiente; e redução histórica nos índices de criminalidade em todas as regiões do Estado.

“Minas tem hoje uma estrutura de defesa social que é considerada uma referência nacional e internacional. Todos vêm aqui para conhecer os diversos projetos que o governo de Minas desenvolve, seja do ponto de vista de controle de homicídios, seja do ponto de vista da gestão integrada das polícias, que é um grande problema. Minas conseguiu se tornar hoje um sucesso sobre como lidar com problema de segurança. Se a gente tivesse aí um pouco de apoio do governo federal, no sentido de avançar e dar as condições para você avançar e aprofundar ainda mais essa questão da integração e dos projetos de prevenção, certamente a gente avançaria muito mais”, disse.

Read Full Post »

CTE. Centro de Treinamento Esportivo da Federal será o mais moderno de Minas e deve ficar pronto em 3 anos

Complexo faz parte do programa Minas Olímpica, que prevê a formação de atletas para 2016

ANTÔNIO ANDERSON
O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, assinou ontem o convênio de cooperação financeira entre a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude e a Fundação de Desenvolvimento e Pesquisa (Fundep) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para as obras da segunda etapa do Centro de Treinamento Esportivo (CTE) da Federal.

Serão investidos R$ 31,8 milhões no complexo, que faz parte do programa Minas Olímpica e tem como objetivo garantir uma estrutura física, técnica e de recursos de alto nível para a formação de atletas olímpicos e paraolímpicos. “Esse é um passo importante para o esporte em Belo Horizonte. Hoje, a nossa capital ainda não conta com um ginásio municipal da prefeitura e existe uma demanda muito grande por esse tipo de espaço”, afirmou Rogério Romero, secretário-adjunto de Esporte e Juventude de Minas. “O Centro de Treinamento Esportivo será uma excelente opção para que os atletas possam se preparar para as Olimpíadas de 2016 com opção de serem acompanhados pelo departamento de educação física, fisioterapia, terapia ocupacional e medicina da UFMG”, completou o secretário.

O CTE será instalado em um terreno de 13,8 mil metros quadrados, localizado no Centro Esportivo Universitário (CEU) da UFMG, na região da Pampulha. O projeto prevê a criação de pistas de atletismo, parque aquático, pavilhão para ginástica, quadras poliesportivas e laboratórios de pesquisas aplicadas. “Nossa expectativa é de que, em três anos, a obra esteja totalmente pronta”, destacou Rogério Romero. “Esse Centro de Treinamento Esportivo será o mais moderno de Minas Gerais e um dos melhores do Brasil na preparação de atletas para a Olimpíada de 2016”, destacou o governador Antonio Anastasia.

Prazo. A segunda etapa da obra deve ser concluída até 2011. O programa Minas Olímpica foi lançado pelo governo estadual em 2005 e inclui, além da implantação do Centro de Treinamento Esportivo, subprogramas como o Oficina de Esportes, o Minas Paraolímpica, o Saúde na Praça e a realização dos Jogos Estudantis do Interior. “Nosso objetivo é investir na formação das futuras gerações e esse centro vai otimizar custos e esforços para melhorar o nosso esporte olímpico”, ressaltou o governador Anastasia.

Números
R$ 55,8 milhões

valor estimado para a conclusão total da obra

R$ 6,27 milhões
foram gastos na primeira etapa do empreendimento

R$ 31,83 milhões
montante a ser investido na segunda fase da obra

Read Full Post »

O Governo do Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte entregam ao presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, e ao Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, na próxima segunda-feira (24), no Rio de Janeiro (RJ), o Planejamento Estratégico Integrado para o mundial de futebol e a nova proposta de gestão do Estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão. A entrega dos documentos demonstra que Belo Horizonte está cumprindo as exigências da FIFA para sediar o jogo de abertura da competição.

“Vamos mostrar que Belo Horizonte está à frente, não só para termos aqui – e é o nosso grande esforço – o mais belo e funcional dos estádios de futebol, mas também toda a infraestrutura necessária para termos a abertura da Copa do Mundo aqui, e deixarmos um belo legado para pós-Copa. Esse esforço que estamos realizando beneficia não só a capital, mas também todo o Estado, porque teremos subsedes e cidades do interior do Estado que também vão receber esses investimentos”, disse o governador Antonio Anastasia, em entrevista, nesta sexta-feira (21).

O documento, elaborado conjuntamente pelo Governo do Estado e a Prefeitura de Belo Horizonte, reúne 54 projetos nas áreas de infraestrutura esportiva, mobilidade, turismo e rede hoteleira, comunicação e marketing, utilidade pública e requisitos da FIFA. Nele, estão detalhados os responsáveis pelos projetos e estabelece mecanismos de controle e verificação para cada uma das metas propostas.

Além da oficialização da candidatura de Belo Horizonte e do Planejamento Estratégico Integrado, a reunião irá tratar ainda de informações e cronogramas sobre os projetos em andamento para a Copa 2014 em Belo Horizonte, uma das cidades-sede do evento mundial. 

Modernização dos estádios 

Um dos mais importantes projetos previstos no Planejamento Estratégico para a Copa 2014 é a modernização e adequação do Mineirão (Estádio Governador Magalhães Pinto). O projeto de modernização do estádio foi aprovado no dia 14 de maio, pelo Comitê Organizador Local da Copa 2014. O Mineirão também foi aprovado na vistoria feita por uma comitiva da FIFA no dia 10 de maio. 

O governador Antonio Anastasia ressaltou que o cronograma dos preparativos de Minas Gerais para sediar jogos da Copa está em dia. “Estamos rigorosamente dentro do cronograma. O Mineirão é o estádio que mais está avançado no Brasil, assim reconhecido pela FIFA e pela CBF. O Independência, a previsão de conclusão é o fim deste ano; e a Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, vai ser inaugurado agora em junho”, explicou Antonio Anastasia. 

Gestão inovadora 

O modelo de gestão do Mineirão que será adotado após as obras de modernização do estádio já é realizado com êxito em países da Europa e da Ásia, mas ainda inédito no país. O Mineirão será administrado por meio de um modelo de gestão compartilhada entre o Governo do Estado e iniciativa privada. A exemplo das modificações realizadas nos maiores estádios da França, Alemanha e Cingapura, o modelo garantirá o controle do estádio pelo Governo do Estado. Caberá à iniciativa privada a realização dos investimentos e execução da terceira etapa de obras de modernização do Mineirão, além da operacionalização e manutenção do estádio por 25 anos. 

O Governo do Estado fará o monitoramento da gestão do estádio. Técnicos do governo farão acompanhamento permanente para garantir o nível de prestação de serviço, como grau de satisfação dos torcedores e dos clubes de futebol; qualidade da manutenção da infraestrutura; limpeza das instalações, inclusive banheiros, satisfação dos usuários (torcedores, imprensa, clubes), entre outros.

Caso o consórcio não atinja os indicadores estabelecidos, o Estado poderá impor penalidades ao empreendedor, reduzindo a margem de receita e até mesmo interrompendo a concessão, assumindo integralmente a gestão do estádio.

Read Full Post »

Older Posts »